15 de outubro de 2017


estou há quatro dias sem trabalhar. teve o feriado de quinta e na sexta o órgão em que eu trabalho não funcionou (não foi ponto facultativo, nós tivemos que fazer banco de horas antes para compensar a esticadinha). na semana que começa amanhã vai ser a mesma coisa: feriado estadual na quinta e prolongamento na sexta. antes eu ficava feliz quando acontecia algo assim, mas ontem já estava me sentindo entendiada e com vontade de voltar para os meus processinhos. o que a falta de vida pessoal não faz com a pessoa?


13 de outubro de 2017


quem é você em grey's anatomy? hoje eu descobri que apesar da minha melhor amiga me chamar de april kepner, na verdade eu sou o owen hunt: completamente fodido psicologicamente e com as escolhas amorosas mais equivocadas SEMPRE. podia ter ficado com a teddy altman, que o amava, era gente boa, profissional competente e linda, mas escolheu christina yang. levou um pé na bunda de christina e se juntou com quem? amelia shepherd. só jesus na minha causa.




9 de outubro de 2017



então...

1) ainda não consegui resolver por completo o problema com o banco. o gerente está me cozinhando com respostas  e promessas evasivas, mas tenho que esperar até o dia 20 para saber se vão fazer o desconto indevido novamente, se o outro valor que devem me ressarcir já foi depositado e se finalmente terão entregue a minha via do distrato. odeio esperar. odeio lidar com problemas que não criei. odeio mais ainda a possibilidade de ter que ajuizar uma ação caso essa bagaça toda não seja resolvida administrativamente em tempo hábil.

2) volta e meia me pego com taquicardia, uma leve falta de ar e náuseas. meu coração parece que vai sair pela boca. sensação de que vou vomitar o mundo. eu sei que não é nada físico. é ansiedade por conta da resposta que está demorando. nossa, como eu quero essa resposta. quero muito que dê certo e que possa logo ir para o novo setor, mas quero mais ainda saber se (e quando) vai dar certo. perguntar para o responsável não está entre as opções. e mais uma vez o universo grita: moça, espere.

3) pensei que a saída de christina yang complicaria as coisas no hospício. mas que nada! teve clima chato porque apesar de todas as etapas terem sido excessivamente anunciadas (pessoal, vou pedir pra sair; pessoal, já fiz o requerimento; pessoal, as dras. já assinaram; pessoal minha portaria sai amanhã; pessoal, minha portaria saiu; pessoal, só venho até hoje) não houve a tão esperada festinha de bota fora. por incrível que pareça, tico e teco finalizaram todos os processos digitais e não houve nenhuma mudança no meu trabalho. fiquei com receio de ser (mais) pressionada e ter minhas atribuições aumentadas, mas o mundo não só não acabou como o clima no setor está bem melhor. pelo menos uma coisa boa no meio de tanta confusão.

4) a minha cabeça ainda está no i. sim, eu sei que não devia, afinal, ele está em outra cidade e nem sabe da minha existência. maaaas, conheci uma pessoa. ou melhor, já conheço fulaninho há dois anos e ele sempre demonstrou gentilezas excessivas pela esta pessoa que vos escreve. como sou uma pessoa que tem dificuldade para acreditar que alguém nesse mundo pode gostar de mim, sempre preferi acreditar que era só cortesia mesmo, ainda mais porque ele é frequentador assíduo do meu ambiente de trabalho e eu odeio tretas ou simples possibilidade de misturar as coisas. h. é legal, muito gentil, bem humorado e bonito também. tem a parte complicada de que já foi casado e tem filhos pequenos e isso me assusta um pouco. talvez vocês digam que eu sou louca (e sou mesmo), mas não vejo como as coisas evoluírem entre a gente. sabe quando o cara é interessante e você adora o fato de alguém como ele ter olhado pra você, mas ao mesmo tempo tem que fazer um esforço hercúleo pra dar continuidade às conversas, porque sempre tem uma hora que a coisa empaca? não sou boa nisso de flertar ou perdi o jeito e já tô querendo sair correndo.

5) tô de coleguinha de trabalho novo essa semana. só por uma semana. na verdade só por três dias. coleguinha vai ficar diretamente na minha sala fazendo que um "treinamento" e é um amorzinho de pessoa. coleguinha me passou um bilhetinho com nome e email e faltou pedir até o número do meu pé. que que tá acontecendo seu cupido?

6) volto hoje pra academia. comprarei dorflex na volta: sim ou com certeza?


  

1 de outubro de 2017



a fé é a posse antecipada daquilo que se espera

não sei estou sendo otimista ou iludida, mas estou com tanta vontade que dê certo, que já imprimi todas as certidões necessárias e ontem de manhã saí para comprar um vestido e sapatos novos para a posse.



21 de setembro de 2017


tô tão desanimada. essa semana não está sendo fácil. não mesmo. novos problemas juntando-se os velhos e eu perdidinha no meio de todos eles. não sou dessas que se deixa paralisar. faço o que estiver ao meu alcance para resolver e deveria me contentar com isso, mas não. a verdade é que piro enquanto minhas ações não dão o resultado pretendido. sim, sou ansiosa.

nesse exato momento deveria estar dormindo (ou ao menos tentando). não consigo controlar os bocejos, a cabeça dói (apesar de ter sucumbido ao analgésico) e sinto o corpo cansado. mas deito e cadê sono?

trabalhei demais essa semana, saí fora do meu horário quase todos os dias. o que me consola é que tenho horas extras suficientes para folgar nas sextas posteriores aos dois feriados do próximo mês (em tempo: no órgão onde trabalho não se decreta ponto facultativo, só que como os feriados serão em dia de quinta, somos avisados por meio de documento oficial que não haverá expediente e convocados para fazer banco de horas com antecedência. por sorte, já tenho minhas 12 horinhas com folga). fora isso teve aula da pós. e também tive que sair todos os dias a tarde depois do trabalho para resolver os problemas de que falei lá encima. preocupação + calor = dor de cabeça.

1. emprestei um valor considerável para uma pessoa e tinha toda uma expectativa de receber agora, já que a tal pessoa ganhou uma ação judicial. mas, porém, contudo, todavia, a advogada da pessoa sumiu (sim, sumiu) após o depósito integral na conta dela (sob o argumento de que repassaria para a cliente) e nem a tadinha da pessoa viu a cor do dinheiro. por via de consequência eu também fui prejudicada.

2. há uns meses me interessei por um empreendimento imobiliário e cogitei antecipar a realização do sonho da casa tava mais pra gaiola de tão pequeno que era o apê própria. por vários motivos que não vem ao caso, adiei a compra. avisei pra corretora que não estava mais interessada, mas ainda assim a construtora enviou a documentação pro banco e o contrato foi feito. tomei um susto quando fui chamada pra assinar. como a merda já estava feita, pedi o distrato no banco porque não tinha mesmo outra opção. qual não foi a minha surpresa quando ontem, ao verificar meu salário, percebi um desconto vultuoso. nunca pensei que tinha a ver com isso, pois nem contrato eu assinei. então... liguei pra caixa, falei com minha gerente, fui na agência do contrato... toda uma via crucis para descobrir que o coleguinha do banco não finalizou o distrato e mesmo sem ter assinado o contrato fizeram o desconto da prestação no meu salário. o gerente fez o tal procedimento que devia ter sido feito há mais de um mês e me garantiu que até o final da tarde de hoje seria feito o estorno. só que até agora nada. ou seja: tô mais pobre do que nunca. se o dinheiro não aparecer até amanhã, lá vou eu de novo ao banco. odeio perder tempo resolvendo problemas que não criei. e enquanto não tiver certeza que o dinheiro voltou e que não vai mais ser descontado vou continuar com ataquezinhos. sério, como vou fazer pra pagar as contas se 40% tá retido? gente, não nasci pra ser inadimplente.

3. chistina yang comunicou a dilma que vai pedir para sair do nosso setor. alguém me lembra de fazer um post falando de cada cerumaninho do meu trabalho? eu gosto de yang. no começo tenho que admitir que não era bem assim. ela é daquelas pessoas que a gente tem que conhecer melhor pra entender o motivo dela ser como é hoje. enfim, divago. depois falo mais. o que importa é que ela ama trabalhar, workaholic total, é a responsável por 70% dos processos, razão pela qual a saída dela vai pesar demais. juro que apesar de saber que a situação está insustentável nunca pensei que yang fosse pedir pra sair. nunca sequer cogitei vê-la com o rosto vermelho e fazendo força pra não chorar porque não aguenta mais. e saber que ela está a base de fluoxetina foi demais pra mim. espero sinceramente que o pedido de relotação dela seja aceito e que ela vá para um lugar em que possa trabalhar e ficar em paz. a notícia do pedido de saída dela impactou todo mundo, menos quem ganha mais com a presença dela: dilma. 

4. bomba 2: florzinha. florzinha é a subchefe do meu setor. acho ela uma pessoa ótima, mas rola toda uma dificuldade por parte dela em colocar ordem ou distribuir as tarefas, o que atrapalha demais o funcionamento do setor e faz com que ela fique sobrecarregada, pois por ter função e ser chefe se sente na obrigação de fazer muito mais que todo mundo. o fato é que dilma me chamou pra avisar da saída de yang e florzinha passou por perto e mandou a real: também não pretende ficar lá por muito tempo. isso eu já sabia porque ela mesma me confidenciou que há uns dias atrás, explicando, inclusive, que o único impedimento atual são umas contas pessoais, mas que pretendia liquidar tudo até o fim do ano e pedir pra sair. somos as únicas efetivas do setor com função. o que me surpreendeu foi a coragem dela de falar isso pra dilma sem nenhum tipo de rodeio. só não tomei o mesmo chá de coragem de yang e florzinha porque pra sair de lá e continuar na minha comarca querida, preciso antes da remoção (cês tão cansados de ouvir isso, né? pois orem fortemente pra eu ser removida que aí paro haha).

5. encontrei com a amiguinha que pode me tirar do setor atual e me colocar em outro e constatei que ela não parece muito interessada em fazer isso. todas chora eu choro.

6. desde segunda não vou pra academia. a calça de cintura alta aquela que marca a barriga me avisou que preciso voltar urgentemente!

vou parar com essa besteira de numerar ou melhor, parar de choramingar (porque senão nem o muro das lamentações não será suficiente), tentar dormir e esperar que o dia de amanhã seja repleto de coisas boas! não sou boa no jogo do contente, mas, tentarei...






19 de setembro de 2017


quando você faz um serviço que não está entre as suas atribuições, as pessoas vão reconhecer e agradecer ou vão te cobrar como se fosse uma obrigação sua? os humanos com quem convivo ficam com a segunda opção sempre.

aí dra. baratinha me mandou a seguinte mensagem na quinta:

- gi, o processo x tem audiência marcada para o dia y. acabei de verificar que não foram expedidos os mandados de intimação. peticionei nesse sentido, mas não sei se o pessoal da secretaria vai ver ou se vão atender. como sei que você não gosta de redesignar audiências por falta de expedição de mandado, tô te avisando pra ver o que você pode fazer, se vai agilizar.

eis a minha resposta:

- acho um absurdo mesmo deixar de realizar uma audiência que é marcada com tanta antecedência porque os mandados não foram expedidos, mas não é atribuição minha fazer isso. sobre a expedição dos mandados, a senhora tem que falar mesmo é com o pessoal da secretaria, pois é atribuição deles. tem muita coisa que não gosto aqui, mas nem por isso vou continuar fazendo a trouxa que se vira nos trinta para dar conta do próprio trabalho e dos coleguinhas relapsos. ao invés de me importunar, reclame para o setor competente, quem sabe assim os coleguinhas não passam a exercer suas atribuições?

pareço fofa (e devo ter sido algum dia), mas tô virando o próprio zé pequeno.



17 de setembro de 2017


liberdade, liberdade, abre as asas sobre mim nós

eu sei que o próximo ano só vai ser diferente se eu me propuser a fazer coisas diferentes. aquela velha historia de que enquanto a gente não muda o que tem que ser mudado as situações tendem a se repetir. 

em 2018 eu quero mudar algumas muitas coisas na minha vida profissional. e por qual motivo não começo a mudança agora? bom. dependo que do eu não entendo nem tudo depende de mim. o start está acima das minhas vontades e ações.

o resultado do programa de aposentadoria voluntária está previsto para o final do ano e com ele vem a promessa de novas nomeações e do concurso interno de remoção. se houver remoção e eu finalmente for lotada na comarca que almejo ou em alguma bem próxima desta, entrego a função.

tenho que reconhecer que não nasci para exercer função comissionada. não nesse lugar. não nessas condições. não com essa chefe. não tenho saco. não sei rir do que não acho engraçado. não sei lidar com alguém que desrespeita tanto o tempo e a espera do outro e tem comportamentos que beiram a desumanidade. só na quarta foram oito audiências redesignadas pela terceira vez em razão da ausência injustificada da pessoa. como estou na linha de frente, recebo diretamente toda a insatisfação e reclamações e não posso fazer nada, além de pedir desculpas por uma falha que não é minha. quem pode fazer alguma coisa abstrai e finge demência simplesmente fecha os olhos. isso mexe comigo de uma forma tão ruim. pelo menos eu sei agora que a minha insatisfação não é com o meu trabalho. amo o que faço e só lamento não ter condições de, na minha atual lotação, desenvolvê-lo como gostaria. 

isso me leva a segunda conclusão: não quero mais estudar pra passar em outro concurso. como disse antes, não só gosto do que faço como estou satisfeita com o meu subsídio. quero voltar a trabalhar em secretaria, apenas no meu horário regular de seis horas e ter tempo para estudar aquilo que escolhi (fora as minhas outras atividades). atualmente me sinto aprisionada: se largar a função, volto pro interior e realmente não está nos meus planos ficar a seiscentos quilômetros de casa; mas, enquanto não largo, tenho que lidar e estudar um assunto que não gosto (família), fazer um serviço que odeio (audiência), aguentar horários irregulares e sem possibilidade de compensação de horas extras, etc, etc, etc...